SERVIÇO SOCIAL

ESTRUTURA CURRICULAR 

 

               O curso funcionará no turno noturno, em regime semestral, com 100 (cem) vagas anual ou 50 (cinquenta) a cada semestre, conforme Portaria Ministerial Ren. Nº 366/2007, com carga horária total de 3.000 (três mil) horas, equivalentes a 131 (cento e trinta e um) créditos, distribuídos em campos interligados de formação, de acordo com a Resolução CNE/CES nº 15/2002, que institui as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Serviço Social. O prazo de integralização curricular corresponde ao tempo mínimo de 3 anos e meio, equivalendo a 7 semestres e de no máximo 5 anos, equivalendo a 10 semestres.

               A proposta curricular do Curso de Serviço Social da Faculdade do Baixo Parnaiba - FAP de Chapadinha – MA, sustenta-se no triângulo dos conhecimentos constituídos em três núcleos de fundamentação da formação profissional:o Núcleo de fundamentos teórico-metodológicos da vida social, o Núcleo de fundamentos da formação sócio-histórica da sociedade brasileira e o Núcleo de fundamentos do trabalho profissional, definidos nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Estando as disciplinas e as práticas sociais aglutinadas em torno desses Núcleos Temáticos, articuladores da formação profissional,haja vista a totalidade de conteúdos necessários às particularidades da atividade profissional. Tais conteúdos se desdobram, por sua vez em áreas de conhecimentos, que constituem uma unidade de conteúdos da formação profissional, parte integrante do grupo de competências e habilidades, definidas no perfil do curso.

               Compreende um conjunto de conhecimentos que integram o entendimento do ser social como totalidade histórica. O núcleo agrega os componentes fundamentais da vida social, as particularidades da realidade brasileira e do trabalho profissional.                        Nessa perspectiva, o ser social parte do processo de constituição e desenvolvimento histórico da sociedade contemporânea, evidencia-se na apreensão dos elementos de continuidade e ruptura dos momentos históricos.

               Sendo assim, a categoria Trabalho é assumida como fio condutor do processo de reprodução da vida social, concebido como práxis, o que implica no desenvolvimento da socialidade, consciência, universalidade e da capacidade de instituir valores, escolhas e novas exigências, em oposição à sociedade capitalista, que apresenta as suas especificidades: a divisão social do trabalho, a propriedade privada, a divisão de classes, as relações de exploração e dominação, e ainda, as suas formas de alienação e resistência.              Dessa forma, ratifica-se também o reconhecimento das dimensões ético-culturais, políticas e ideológicas que compõem os processos sociais, apreendidos no movimento dialético que corporeifica os elementos de sua superação.

               Esse núcleo então, propicia a compreensão e explicação de fenômenos sociais, educacionais e de aprendizagens significativas, a partir de suas bases nas diversas linguagens e códigos, bem como, históricas, filosóficas, econômicas, políticas, de modo a captar as relações e as interações que se verificam entre Estado/Sociedade/Trabalho.